Novos medidores de vazão para canais abertos, esgoto e efluentes chegam ao mercado
26/04/2010



A medição de vazão em canais abertos sempre foi uma tarefa complicada. Sua aplicação no dimensionamento de redes de drenagem, águas de descarte, efluentes industriais e até na quantificação do  esgoto é um desafio, dada a variabilidade da qualidade da água, presença de sólidos, sua velocidade irregular, o perfil irregular dos canais e até mesmo a sobrevivência do equipamento, características que sempre foram difíceis de serem resolvidas. Para sanar esta questão chegaram ao país, os medidores de vazão Sigma 910, 920, 930, 940 e 950, distribuídos pela Ag Solve, no País. Os equipamentos são práticos, confiáveis e eficientes, além de ajudarem na obtenção de dados para dimensionar estações de tratamento e novas redes coletoras. Possuem características para montagem temporária ou permanente, dependendo do modelo escolhido.

Os medidores são destinados para canais abertos, tubos não pressurizados, águas de efluentes industriais e sanitários, líquidos com produtos químicos, lama, lodos - entre outros. “Estes medidores estão sendo cada dia mais solicitados e, agora, atenderemos a uma demanda reprimida no Brasil, que é a do uso por indústrias, órgãos públicos, concessionários de águas e esgoto, empresas de reuso da água. Os equipamentos possuem capacidade de operação autônoma por meio de baterias, que permitem telemetria e, em alguns casos, o uso de diferentes técnicas de medição de vazão, com  até quatro pontos simultâneos, em um único equipamento. Além disso, eles se comunicam com as sondas multiparamétricas, que monitoram a qualidade da água, assim como podem ser conectados a amostradores automáticos, caso uma amostragem seja desejável” afirma Felipe Villas Bôas, do Departamento Técnico da Ag Solve.

 

Segundo Felipe, a linha de medidores de vazão Sigma/Hach é conhecida pela sua flexibilidade de aplicação, acurácia e eficiência, o que proporciona economia de tempo e dinheiro aos seus usuários. Os produtos se diferenciam pela quantidade de sensores, capacidade da bateria e de armazenamento de dados e forma de comunicação. “A linha é composta basicamente pelos equipamentos: Sigma 910, 920, 930, 940 e 950. Para realizar a medição, os medidores Sigma contam com cinco tipos diferentes de medições, que podem ser ligados aos coletores de dados, de acordo com as características do medidor e do efluente. São eles: medidor submerso de área x velocidade com sensor Doppler; sensor de vazão ultrasônico sem contato; sensor ultrasônico de vazão para tubos de diâmetro reduzido; sensor apenas de velocidade (para ser montado com outros sensores de nível); sensor de área x velocidade com sensor de nível com borbulhador”, explica Felipe. Outras opções de acessórios também são possíveis, “como a conexão com pluviômetros, saídas de sensores diretos de qualidade da água, entrada e saída de sinais analógicos e relés de alarme”, completa ele.

 

Veja, abaixo, tabela ilustrativa sobre a diferença entre os equipamentos e a compatibilidade dos sensores:

Hach

Sigma 910

Sigma 920

Sigma 930

Sigma 940

Sigma 950

Portátil

x

x

x

x

x

Permanente

 

x

x

 

x

Interface com o PC

x

x

x

x

x

Teclado com Display LCD

 

 

 

 

x

Unidade de Transferência de dados

x

x

x

 

x

Capacidade da bateria (coleta a cada 15 minutos)

60 dias

90 dias

365 dias

365 dias

150 dias

Número de sensores

1

2

3

2

4

Alimentação AC

 

x

 

x

x

Sensores

Borbulhador

 

 

 

 

x

Pressão Submergível

x

x

x

x

x

Ultrasônico

 

x

x

x

x

Área Velocidade

x

x

x

x

x

 

 

Atendimento à imprensa:

Daniela Mattiaso

daniela@artcomassessoria.com.br

 

Marlene Simarelli

marlene@artcomassessoria.com.br

 

Isabella Monteiro

isabella@artcomassessoria.com.br

 

ArtCom Assessoria de Comunicação

Telefone: (19) 3237-2099

Campinas – SP

© 2019 - ArtCom Assessoria de Comunicação - webdesign CG Propaganda