Revista Plasticultura: CULTIVO DE RÚCULA? ESCOLHA A HIDROPONIA
28/05/2018

O gosto levemente ardido da rúcula já conquistou uma boa parte de consumidores. A hortaliça começou a se popularizar na década de 1990, quando ganhou espaço em restaurantes e pizzarias. Hoje, não é difícil encontrá-la bem fresca nos mais diversos pontos de varejo pelas cidades. A rúcula representa uma fatia de 5% da área de cultivo de folhosas no Brasil, um número ainda pequeno em comparação com a alface, que ocupa 47%. Mas a tendência é de expansão da cultura. Entre 2010 e 2015, os hectares dedicados à rúcula aumentaram em 11%, chegando a 40 mil, espalhados por todo os país. Ao lado do coentro verdão (também 11%) e do agrião (12%), foi a hortaliça de folha que registrou o maior crescimento de área cultivada, segundo dados da Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (Abcsem). Dentro do grupo, a rúcula também se destaca por ser uma das plantas mais cultivadas no sistema hidropônico. Em aspectos de manejo, a rúcula não é uma cultura que apresenta grandes dificuldades. Pode ser cultivada em diversas regiões do país, especialmente em climas mais amenos. O uso do cultivo protegido é bem difundido para a produção da hortaliça. A hidroponia é uma opção viável para os produtores. Este sistema consegue ainda atender bem o desejo do consumidor por produtos saborosos, com maior durabilidade e com tamanhos reduzidos, como identificaram pesquisas realizadas pela Abcsem. (Continue a ler no site da Revista Plasticultura, clicando aqui). 

Reportagem: Jeferson Batista/Artcom

© 2018 - ArtCom Assessoria de Comunicação - webdesign CG Propaganda