Parceria Starkey e Apple permite conectividade entre aparelho auditivo e iPhone
23/07/2014
A tecnologia já faz parte da vida das pessoas em todo o mundo. Sem ela, você não poderia assistir TV, pagar suas contas com o cartão de crédito ou débito, acessar os e-mails ou redes sociais. E, para os deficientes auditivos, a tecnologia está prestes a ultrapassar tudo o que já foi visto, através de aparelhos que podem transmitir telefonemas e música diretamente para os ouvidos, por meio do celular. Em uma parceria inédita com a Apple, a Starkey, líder mundial em tecnologia auditiva, desenvolveu e está trazendo ao Brasil um aparelho que possibilita a conectividade com iPhones, iPads e iPods. O aparelho auditivo Halo é especialmente projetado para se conectar com dispositivos Apple e transmitir chamadas telefônicas, músicas, vídeos e muito mais diretamente para os ouvidos, com uma avançada qualidade de som. 
 
“A Apple desenvolveu um aplicativo de controle de audição personalizado, o TruLink, que atua em conjunto com a tecnologia do aparelho auditivo Halo. Com o app, é possível alterar o volume do aparelho diretamente do celular, transmitir chamadas telefônicas, vídeos, músicas, sons de jogos e qualquer mídia do iPhone para o aparelho auditivo, o que proporciona uma experiência sonora envolvente e impressionante”, ressalta Camila Quintino, fonoaudióloga e gerente de Produtos da Starkey do Brasil. 
 
De acordo com Marco Ferreira, diretor da Starkey do Brasil, em vários países do mundo o Halo está sendo um sucesso. “Acredito que no Brasil também será. A comunicação feita entre o celular e o aparelho auditivo ocorre devido a uma linguagem desenvolvida pela Apple. Por essa razão, mesmo que ocorra alguma atualização no dispositivo ou que uma versão nova do iPhone seja lançada, por exemplo, sempre haverá compatibilidade”, garante o diretor. O aparelho auditivo Halo e o app TruLink são compatíveis com os seguintes dispositivos da Apple: iPhone 5s, iPhone 5c, iPhone 5, iPhone 4S, iPad Air, iPad 4, iPad mini, iPad mini com tela Retina, e iPod Touch, através da compatibilidade com a  plataforma iOS 7.1.
 
Tecnologia permite controle dos níveis da audição 
 
A conectividade entre o Halo e o aplicativo TruLink permite ao usuário uma infinidade de possibilidades. “Ao receber uma ligação, por exemplo, o usuário poderá atendê-la sem precisar segurar o celular no ouvido, sobre o aparelho auditivo. O Halo possui um sistema de captação da voz, ou seja, ele pode manter o aparelho no bolso e continuar se comunicando”, comenta a fonoaudióloga.
 
A ferramenta SoundSpace no aplicativo TruLink permite ao usuário fazer pequenos ajustes para atender suas preferências particulares e garantir um som de qualidade, com muito mais nuances. Dessa forma é possível deixar a música mais grave ou aguda, ou seja, o usuário pode alterar as características do som, de acordo com suas preferências.
Memória do aplicativo permite a criação de um ‘mapa da audição’
 
Através do localizador do Iphone, é possível memorizar os locais em que o usuário esteve automaticamente. “Ao identificar o local em que o usuário está, o aplicativo faz as modificações necessárias no aparelho auditivo. Por exemplo, se o usuário vai ao shopping e baixa o volume em quatro decibéis, a ação será armazenada na memória do TruLink. Quando ele voltar ao shopping, o app automaticamente detecta e reproduz essa alteração no volume. O aplicativo tem várias memórias que podem ser utilizadas nos ambientes mais frequentados pelo usuário.”, explica a especialista.
 
O aplicativo TruLink também disponibiliza a função ‘buscar meu aparelho auditivo’, bem como o buscar meu iPhone ou iPad. “Se a pessoa perde o aparelho auditivo, e o mesmo está com a pilha inserida e ligado, o usuário pode rastreá-lo com o auxílio do celular, pois o app irá mostrar na tela quando o aparelho estiver próximo”, comenta Camila.
 
Opinião
 
“É um pequeno exagero dizer que a safra mais recente de aparelhos auditivos é melhor do que a maioria dos ouvidos com que nascemos. Os aparelhos podem transmitir telefonemas e música diretamente para os ouvidos por meio do telefone. Eles podem ajustar os sistemas acústicos ao local; quando o telefone detecta que você entrou no seu bar preferido, ele ajusta o aparelho de audição àquele ambiente. (...) Usar os aparelhos era como atualizar o software dos meus ouvidos. Pela primeira vez, eu tinha controle fino sobre o ambiente acústico, o tipo de capacidade biônica que nunca percebi cobiçar. Eu tenho 35 anos de idade e audição normal. Porém, se pudesse, usaria esses aparelhos o tempo todo.”
 
Farhad Manjoo, jornalista do New York Times em publicação sobre a tecnologia Halo/TruLink
 
© 2017 - ArtCom Assessoria de Comunicação - webdesign CG Propaganda