Água de qualidade influencia na saúde e na produtividade da lavoura
05/07/2014
Por Tatiane Bueno
Para o InfoTrade - Edição 14


Assim como a qualidade da água que bebemos é muito importante para que estejamos devidamente hidratados, e também para que não sejamos contaminados por doenças que encontram na água o ambiente perfeito para seu desenvolvimento, o mesmo acontece com as plantações.

 

Para que a saúde e a produtividade não sejam comprometidas, a água não pode ser de má qualidade.

Para ajudar o leitor a entender o assunto e melhorar a nutrição e saúde de sua lavoura, o Infotrade conversou com José Nolasco, diretor de Marketing e P&D da Tradecorp Internacional, que falou sobre a importância da qualidade da água para a fertirrigação, deu algumas dicas sobre a realização de análises de qualidade e sobre a solubilidade dos produtos utilizados na nutrição via fertirrigação.

 

Quais características a água precisa ter para ser boa para fertirrigação?

Os indicadores mais importantes de qualidade da água se quantificam mediante uma série de índices, entre os quais se destacam por sua importância:

  • pH
  • CE (mS·cm-1)
  • Nível de boro (mg·L-1)
  • Total de sais dissolvidos (mg·L-1)
  • Relação Ca2+ / Mg2+
  • Índice de Scott
  • Relação de adsorção de sódio corrigido (SAR)
  • Porcentagem de Sódio Intercambiável (PSI).
  • Carbono Residual de Sódio (CSR).

Em geral, salvo o caso de manejar água com substâncias fitotóxicas, a concentração salina é o fator mais importante, pois é responsável pela condutividade elétrica (CE) elevada. Que sujeita a planta a pressões osmóticas na solução do solo, o que pode ser um fator não suportável pela cultura, resultando na diminuição do desempenho e risco de murchar.

Outro aspecto importante na determinação da qualidade da água é a presença de sódio, já que é o responsável pela degradação do solo ao deteriorar sua estrutura com diminuição de permeabilidade, tendo um efeito contrário à presença de cálcio e magnésio, pois o perigo de acidificação do solo varia de acordo com a presença destes elementos.           Em geral, uma água de qualidade deve ter um pH próximo a seis, baixa salinidade, sem  a presença de sódio, cloro ou elementos fitotóxicos. Definitivamente, o pH, salinidade, nível de sódio, qualidade de sais dissolvidos e presença de possíveis elementos fitotóxicos são os aspectos mais relevantes.

 

Porque é importante analisar a água a ser utilizada na fertirrigação?

Para um manejo correto da fertirrigação e da irrigação, é fundamental conhecer a qualidade disponível da água para calcular as necessidade de irrigação e fertirrigação de forma adequada, já que irrigar com água de má qualidade frequentemente precisa de maiores  aportes e representam uma série de restrições na seleção do cultivo.

A análise da água nos permitirá conhecer, entre outros, os seguintes aspectos-chaves:

  • A concentração de sais dissolvidos
  • A qualidade de sais dissolvidos
  • Os nutrientes presentes na água
  • A concentração de carbonatos e bicarbonatos
  • Os possíveis problemas de fitotoxicidade
  • Os íons indesejáveis, como sódio e cloro
  • A condutividade elétrica

Todos estes parâmetros são essenciais para calcular uma solução nutritiva para a fertirrigação.

Na preparação de uma solução nutritiva de fertirrigação de qualidade e de alta eficiência em sistemas quantitativos, proporcionais ou mediante sistemas mais sofisticados, como a utilização de tanques concentrados com controle de pH e condutividade elétrica mediante ordenador de fertirrigação, é necessário:

  1. Definir a solução nutritiva
  2. Ajustar o pH final
  3. Ajustar os macronunientes
  4. Ajustar micronutrientes
  5. Calcular a condutividade elétrica final

Portanto, é extremamente importante na preparação da fertirrigação conhecer a qualidade da água, mediante uma análise e posterior interpretação dos resultados por um agrônomo.

Temos que levar em conta que a fertirrigação consiste, de maneira geral, na entrada de nutrientes mediante a água da irrigação. Portanto, uma solução nutritiva calculada sem a consideração da qualidade da água será, na maior parte dos casos, uma solução nutritiva com alto risco de pouca eficiência e baixa biodisponibilidade dos nutrientes aplicados. Por isso, é fundamental analisar a água na fertirrigação.

 

De que modo a fertirrigação feita com água de baixa qualidade afeta solo, plantas e produtividade?

Como comentamos antes, a concentração salina da água é um fator muito importante por ser responsável pela elevada condutividade elétrica, submetendo a planta à pressão osmótica da solução do solo que não consegue ser suportada pela cultura. Altos níveis de salinidade do bulbo úmido terão um efeito negativo, causando diminuição do desempenho e, em casos extremos, até mesmo a morte da cultura.

Sem dúvidas, os problemas de caráter osmótico são os principais estresses que causam efeitos adversos no crescimento e produtividade do cultivo.

Por exemplo, na tabela seguinte podemos ver a redução do rendimento (%) esperado. Devido à salinidade da água da irrigação, expressa por meio de sua condutividade elétrica (mS·cm-1), quando se aplica irrigação superficial sobre diferentes espécies cultivadas (Cadernos FAO: 29).

Reducao do rendimento - tabela Nolasco

(1) Representa a condutividade eléctrica máxima (CE) do extrato suportável saturação do solo de cultivo; acima deste valor, a perda de rendimento é de 100%.

Outro aspecto importante é a presença de sódio, já que é o responsável pela degradação do solo ao deteriorar sua estrutura. A utilização de águas de má qualidade podem ocasionar riscos importantes de salinizar o solo, danificar sua estrutura e, portanto, criar um entorno complicado para o desenvolvimento da raiz e sua capacidade de assimilar nutrientes. Sem dúvidas a utilização de água de qualidade, dependendo de quais são os parâmetros responsáveis, afetam de forma chave no rendimento e qualidade do cultivo, assim como na qualidade do solo.

 

Como o produtor pode superar os problemas causados pelo uso de água de má qualidade?

Para atenuar os efeitos negativos da utilização da água de má qualidade, o agricultor deve aumentar a dosagem de irrigação – na medida do possível -, usando os volumes em excesso para ajudar a lavar os sais do solo.

Lamentavelmente, em algumas ocasiões esta prática não é possível devido à escassa disponibilidade de água nas zonas áridas e semiáridas ou devido à presença de solos pouco permeáveis e pesados.

Nestas condições, é fundamental aumentar a porosidade do solo, reduzir sua compactação e melhorar sua estrutura, o que permitirá maior capacidade de retenção da água, melhor drenagem, oxigenação e aeração do solo.

Com isso, ajudaremos a planta a desenvolver um melhor sistema radicular e reduziremos o risco de asfixia. O fator chave é ajudar a melhorar as características físicas, químicas e biológicas do solo junto com a entrada de bioestimulantes que ajudem a planta a superar o estresse a que está submetida, em virtude do uso de águas de má qualidade.

Em todo caso, o uso da água de salinidade muito alta, com níveis de sódio altos em muitos casos não está apto para a irrigação e só deve se usar em solos muito permeáveis e com boa drenagem, usando volumes em excesso para lavar os sais do solo e usando culturas muito tolerantes.

 

Como a solubilidade dos produtos pode ser importante para a qualidade da água e para a fertirrigação?

Como comentamos anteriormente, a fertirrigação é basicamente a aplicação de fertilizantes na água de irrigação. Neste sentido, a solubilidade dos produtos utilizados é chave para uma solução correta.

Sem dúvidas a compatibilidade entre os produtos usados é extremamente importante também. A utilização de misturas não compatíveis às concentrações usadas provocam precipitações, obstrução de filtros e gotejadores, e assim anula a disponibilidade para o cultivo.

Outro aspecto a considerar é o efeito endotérmico que algumas fontes de fertilizantes têm. Devido a este efeito, a temperatura baixa da água é importante para dissolver fertilizantes.

 

Como a composição química, física e biológica da água pode influenciar o uso de produtos nutricionais para as plantas?

O metabolismo primário das plantas são os processos envolvidos diretamente na sua sobrevivência, crescimento e reprodução. A assimilação de nutrientes é parte do metabolismo primário, resultando um aspecto de relevante importância.

As plantas precisam de um bom sistema radicular, ativo e eficaz, para assimilar nutrientes através dos pelos radiculares. Além disso, a assimilação de nutrientes acontece com o consumo energético.

Portanto, se as condições do bulbo úmido são inadequadas devido ao uso de águas de má qualidade, as raízes das plantas não realizarão sua função de forma correta, nem se desenvolverão ou crescerão de forma eficaz. O efeito negativo sobre o metabolismo primário da planta será significativo.

Sem dúvida, a qualidade da água terá uma influência importante na biodisponibilidade dos nutrientes e na capacidade da planta de assimilá-los.

 

Com que frequência o produtor deve analisar a água para manter a alta qualidade?

Depende da procedência da água de irrigação e sua qualidade. Se, devido à origem da água, se espera uma composição estável, considero suficiente realizá-la uma vez por safra.

 

A análise da água deve ser feita a cada novo plantio?

Em geral, se a água utilizada é de boa qualidade e não há troca de cultura, não considero necessário analisar a água a cada novo plantio. Porém, se as análises anteriores mostram uma água de baixa qualidade e com riscos significativos de salinização e/ou acidificação dos solos e vamos trocar a cultura para uma com maior sensibilidade a estes fatores, considero necessário realizar a análise a cada novo plantio. Sem dúvidas também dependerá do tempo transcorrido desde a última análise.

© 2017 - ArtCom Assessoria de Comunicação - webdesign CG Propaganda