Radiocomunicação digital oferece segurança e facilidade aos usuários
01/10/2013
 A sétima edição da Feira internacional de Radiocomunicação - Fenarcom, que acontece entre os dias 03 e 06 de outubro, em Indaiatuba, interior de São Paulo, tem como seu principal foco a radiocomunicação digital. Esse é o único evento dedicado exclusivamente à radiocomunicação no Brasil, e reúne pessoas e empresas ligadas à fabricação, comercialização e prestação de serviço em radiocomunicação e telecomunicações do Brasil e do mundo. Acompanhando a tendência de migração para a tecnologia digital, que aconteceu com as televisões e celulares, a radiocomunicação só tem a ganhar com essa mudança. Fernando Bacchieri, gestor técnico de Negócios da Radiohaus, explica como funciona o sistema e os benefícios que apresenta em relação à analógica.

O que é radiocomunicação?

É uma maneira genérica de definir o meio de comunicação via rádio por dados ou voz, que possibilita a integração de grupos ilimitados de pessoas no mesmo canal de rádio com interação imediata de todos.

As finalidades desse sistema são diversas e entre elas podemos citar a radiocomunicação comercial, supervisão e controle, serviço de rádio táxi, móvel marítimo, móvel aeronáutico e radioamadorismo. Esse sistema é cada vez mais adotado pelas empresas devido às facilidades no dia a dia dos negócios e pelo baixo custo operacional.

Qual a diferença entre um sistema analógico e um digital?

A principal diferença é a multiplexação do canal, por meio da qual é possível dividir o canal de transmissão, ampliando a quantidade de usuários de um mesmo canal digital. Entre as vantagens do digital, destacam-se a economia com infraestrutura, já que o canal pode ser dividido; a linearidade na área de cobertura, ou seja, não importa a distância em que o aparelho receptor esteja do emissor, a qualidade da chamada será a mesma; áudio claro e ausência de chiado. Outra característica vantajosa é a não dependência de torres para fazerem chamadas, como os acontece com telefones celulares.

O sistema é seguro?

Quando o assunto é segurança, a radiocomunicação digital também é a melhor opção. As chamadas criptografadas pelo sistema são praticamente impossíveis de serem invadidas. Os novos aparelhos digitais oferecem ainda a opção de identificação de chamada, teclado para envio de mensagens e chamadas telefônicas.

Como ficam os custos para montar e manter um sistema completo?

Há uma economia na quantidade de aparelhos que terão que ser adquiridos para a montagem de um sistema de radiocomunicação completo. Com o sistema digital, há a possibilidade de quadruplicar o número de usuários em uma frequência. A inexistência de mensalidades é outro ponto vantajoso, que gera uma grande economia em longo prazo. Apesar de alto investimento inicial, o retorno é garantido.

Quanto à legislação vigente, o que é determinado no país?

Em resumo, qualquer organização que queira licenciar uma nova rede, ou renovar uma licença já existente de rádio, atualmente, seja em VHF ou UHF, terá de fazê-lo em digital. Seguindo as resoluções 557, 558 e 568, a ANATEL não licencia novas redes em analógico desde o início deste ano.

Serviço:

7ª FENARCOM – Feira Internacional de Radiocomunicação

Data: 03 a 06 de outubro

Local: Pavilhão de Exposições da Viber, em Indaiatuba.

Abertura: quinta-feira, 03 de outubro, às 14h.

Horários: 04 e 05 das 9h às 19h e no dia 06,  das 9h às 13h

Organização: Inova Expo

Patrocinador Oficial: Radiohaus Radiocomunicação

Apoio Internacional: Icom

Apoio Institucional: Labre - SP e Prefeitura de Indaiatuba

Apoio técnico: Ambientalle, DGComm e GVT

Revista Oficial: CQ Radioamadorismo – Comunicação e Tecnologia

 

Atendimento à imprensa:

Tatiane Bueno

tatiane@artcomassessoria.com.br

Marlene Simarelli

marlene@artcomassessoria.com.br

Telefone: (19) 3237-2099 

© 2017 - ArtCom Assessoria de Comunicação - webdesign CG Propaganda